Associação dos Oficiais
Policiais e Bombeiros
Militares do Estado
do Paraná
  • CONTENT

Carreira

31.08.2018

Associado participa de curso na África voltado ao combate ao tráfico internacional de animais silvestres

O Capitão Álvaro Gruntowski, do Batalhão de Polícia Ambiental Força Verde (BPAmb-FV), da Polícia Militar do Paraná, concluiu no último sábado (25) o Curso de Investigação de Tráfico de Vida Selvagem, que durou duas semanas, na “International Law Enforcement Academy” (ILEA), na cidade de Gaborone, capital de Botswana, país localizado no sul da África.

 

As autoridades africanas e norte-americanas constataram que o Brasil vem figurando cada vez mais como rota ou até destino final do tráfico de produtos da vida selvagem, tais como marfim, chifres de rinocerontes, pangolins e outros produtos e espécies. Sendo assim, nesta edição do curso de investigação e combate a este tipo de crime, destinada a policiais e agentes de fiscalização de Moçambique, Angola e Botswana, a ILEA destinou dez vagas para o Brasil.

 

Das vagas, uma foi destinada ao IBAMA e as outras nove às Polícias Militares de todo o país por meio de um processo seletivo de provas de títulos e experiência na área. Ao final da seleção o Oficial paranaense foi escolhido, juntamente com outros policiais de São Paulo, Santa Catarina, Mato Grosso do Sul, Bahia, Amapá, Brasília e Rio Grande do Norte.

 

 

O Capitão Álvaro relata os principais legados que trouxe na bagagem, depois de trocar informações e experiências sobre as atividades preventivas e repressivas do combate ao tráfico de animais, juntamente com agentes ambientais estrangeiros e de outros estados brasileiros.

“Poder reiterar o entendimento que já tínhamos de que o sucesso do combate aos crimes ambientais, especificamente os crimes contra a fauna silvestre, está intimamente ligado ao trabalho em cooperação, não só a internacional, mas também a cooperação interestadual. Por isso a importância dessa troca de experiências, contatos e conhecimentos entre os agentes africanos, norte-americanos e de várias unidades federativas do Brasil. Porque os crimes ambientais não se importam com fronteiras entre países, nem divisas entre estados, eles são transnacionais e nós, por sermos instituições estaduais, muitas vezes ficamos limitados às nossas divisas, mas temos que vencer essas barreiras. Só assim será possível fazer frente a esses crimes”, disse o Militar Estadual.

 

 

O Oficial da PMPR também enalteceu o aprendizado adquirido no continente africano. “Vivenciar e conhecer um pouco mais dos desafios e avanços de outros países nos inspira aqui no Paraná e no Brasil a evoluirmos em alguns procedimentos e até sugerirmos mudanças em nossa atual legislação, assim como até as nossas leis também acabam incentivando algumas melhorias nas de outros países, por isso é tão enriquecedora essa troca de experiências”, concluiu o Capitão Álvaro.

 

O tráfico de animais silvestres e seus produtos é o terceiro maior comércio ilegal do mundo, ficando atrás somente do tráfico de drogas e de armas. No Brasil, as principais forças de combate a este tipo de crime são as Polícias Militares, por meio de suas unidades especializadas, como o Batalhão de Polícia Ambiental Força Verde da PMPR.

 

Os conhecimentos e experiências adquiridas no curso pelo Oficial serão multiplicados ao efetivo do Batalhão, bem como utilizados no desempenho da sua missão, fortalecendo e aprimorando ainda mais as atividades desenvolvidas pela unidade especializada.

 

Indicar PARA UM AMIGO
Comentários
Deixe seu comentário

INDIQUE UM AMIGO
Ops,
essa matéria é restrita para associados.
Faça seu login para ler
associe-se esqueci minha senha